Jorge Aragão é internado no Rio com problemas no coração

0
165
Jorge Aragão é internado no Rio com problemas no coração (Foto: Assessoria de Imprensa)
Jorge Aragão é internado no Rio com problemas no coração (Foto: Assessoria de Imprensa)
Tempo de leitura: 2 minutos

O cantor Jorge Aragão, de 72 anos, foi internado às pressas neste sábado (18) no Hospital São Lucas, no Rio de Janeiro

Jorge Aragão buscou atendimento após sentir dor torácica e descobriu uma artéria obstruída no coração. Por isso, precisou realizar uma angioplastia coronária — o procedimento “desentope” os vasos sanguíneos.

O sambista, de 72 anos, já está em casa. Aragão cantor recebeu alta neste domingo (18) depois de se recuperar de um cateterismo. O cantor sentiu-se mal na quinta-feira (15), teve que passar pelo procedimento médico no Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul da cidade.

A intervenção foi bem-sucedida e Jorge ficou no hospital em observação até a alta neste domingo. A informação foi confirmada pela assessoria do cantor, que não disse quando ele deve retomar sua agenda de compromissos.

Jorge Aragão já foi internado outras vezes por causa de problemas no coração. Em 2007, ele passou mal quando voltava de um show e foi levado para um hospital em Volta Redonda, na região Sul Fluminense com quadro de hipertensão e dores no peito.

Em 2013, foi submetido a um cateterismo. Em 2014, Aragão passou 13 dias internado após sofrer um infarto. O sambista possui 22 stents no coração. Em 2020, Jorge Aragão foi diagnosticado com Covid e ficou duas semanas internado para tratar a doença.

Assuntos Relacionados

Sobre Jorge Aragão

(Reprodução Instagram)
(Reprodução Instagram)

Jorge Aragão da Cruz (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1949). Compositor, cantor, instrumentista. Cresce no bairro de Padre Miguel, subúrbio do Rio de Janeiro. Aprende a tocar violão de ouvido, por volta dos 11 anos.

Introduzido por Neoci Dias (1937) no bloco carnavalesco Cacique de Ramos, passa a frequentar os pagodes na quadra do bloco, nos quais os integrantes se reúnem para confraternizar e tocar informalmente. Lá, apresenta suas composições, tendo seu samba “Malandro” (parceria com Jotabê) revelado pela cantora Elza Soares (1937) em 1976. A carreira como compositor deslancha com as gravações dos sambas “Vou Festejar” [parceria com Dida (1940) e Neoci] e “Coisinha do Pai” [com Almir Guineto (1946) e Luiz Carlos da Vila (1949-2008)] na voz da cantora Beth Carvalho (1946) em 1978 e 1979. Paralelamente, forma com os sambistas Bira Presidente (1937), Ubirany (1940), Sereno do Cacique (1952), Almir Guineto e Neoci o conjunto Fundo de Quintal. Participa da gravação do disco Samba É no Fundo de Quintal, em 1980, e no ano seguinte, já desvinculado do grupo, lança seu primeiro disco solo.

Advertisement